Os requisitos para se franquear uma empresa

Ultimamente, muitas pessoas têm me perguntado “o que precisa para virar uma franquia”, isto é, transformar-se numa empresa Franqueadora. Eu sei que tem muito conteúdo na internet sobre este tema, mas realmente senti falta de algo mais simples, mais direto e menos centralizado. Tudo o que achei vem da mesma meia dúzia de grandes empresas prestadoras de serviço para o Franchising, portanto meio tendencioso, sei lá…

Decidi fazer um post curto e extremamente simplista, unicamente para que quem quiser saber mais possa pesquisar de forma mais assertiva.

Basicamente, a definição mais aceita e difundida de “Franquia” é de um sistema onde o Franqueador cede aos Franqueados o direito de uso de um modelo de negócios validado, composto por marca, produtos e/ou serviços, sistema de operação e gestão e afins, dentro de um mercado pré-definido, mediante suas regras e mediante remuneração em forma de royalties também pré-definidos. É uma definição própria que construí com base em anos de estudo e trabalho na área. Porém, o mais legal é pensar a respeito de um ponto chave desta definição: “modelo de negócios validado”.

Ora, dizer que um modelo de negócios está validado pressupõe que a empresa franqueadora não só esteja totalmente em dia com suas obrigações fiscais, judiciais, trabalhistas e contábeis, como também já tenha uma marca registrada e reconhecida no mercado, já tenha um sólido modelo de operações e tenha, de fato, um plano de expansão a ser explorado. E estes são, senhoras e senhores os tais pré-requisitos. Tem que ter marca registrada. Tem que ter a contabilidade (Balanço, DRE, relatórios, sim!) em dia. Tem que ter documentação que comprove histórico e dê garantias ao potencial Franqueado de que o investimento é um bom negócio.

Os moldes em que o sistema de Franchising deve se enquadrar, no Brasil, estão definidos pela lei 8955/94, que define o sistema e regulamenta a documentação necessária como a Circular de Oferta de Franquia (COF), o Contrato de Franquia (e pré-contrato, opcional), e manual ou manuais de operação do negócio. A partir daqui, você  já tem grande noção do que se precisa, de fato, para franquear a sua empresa. E se achou que seria fácil, agora sabe que não é. Precisa ser competente em sua área de atuação e ser capaz de demonstrar isso na prática.

Não se pode franquear hipóteses.

Pesquise mais e fique à vontade para dar sua opinião ou conversar comigo à respeito deste assunto. Gosto muito de Franchising (principalmente porque contempla todo o generalismo do meu perfil, da minha formação, da vida).

A gente se fala. Abraço.

Michel Bernardino

 

Fonte: Blog do Michel

Posts Relacionados

Consultoria de franquias: Por que contratar uma?

Por Michel Bernardino, em 28/08/2018

Nos mais variados segmentos da economia brasileira, o que mais se vê são empresas de consultoria. No franchising, o setor que [...]

Franqueador: Quais as suas responsabilidades?

Por Thaynara Gonçalves, em 22/08/2018

Franqueador: Quais as suas responsabilidades? Se tornar um franqueador é uma grande decisão, e implica em ter consigo ainda [...]

Compra de franquia? Saiba o que analisar antes

Por Michel Bernardino, em 14/08/2018

VAI COMPRAR UMA FRANQUIA? SAIBA O QUE ANALISAR ANTES A compra de uma franquia é uma  decisão animadora. Quando decide-se por [...]