Como tornar sua empresa uma franqueadora

Um dos maiores desejos dos empreendedores é  poder atingir o sucesso, que muitas vezes é materializado através do reconhecimento de sua marca nacionalmente ou até internacionalmente. E para isso o franchising é uma oportunidade e tanto já que, além de o do setor apresentar notável crescimento durante os últimos anos, é um sistema que permite o crescimento de forma estruturada e sustentável.

Utilizar o sistema de franquias para alavancar a empresa pode ser a sacada para diferenciar o negócio no mercado brasileiro, que é tão competitivo. O Franchising oferece mesmo muitas vantagens (você pode ver mais detalhadamente elas clicando aqui). Mas vale ressaltar que criar e gerir uma rede de franquias demanda bastante cuidado e atenção, portanto, o empreendedor deve estar preparado e munido de toda informação possível.

Para que tudo aconteça da melhor maneira, vamos explicar neste artigo os principais processos que envolvem a franqueabilidade de um negócio.

Análise de franqueabilidade

Qualquer empresa precisa ter diagnósticos claros da situação atual do negócio e de seu histórico para que tome decisões assertivas e se mantenha no mercado. Quando se pensa em franquear o modelo deve-se ter em mente que serão replicados todos os sistemas envolvidos na gestão do negócio – processos operacionais, políticas de gestão de equipes, de marca, fornecedores e outros.

Para garantir que a empresa tenha potencial de escala e replicabilidade que o franchising precisa, realiza-se o estudo de franqueabilidade. Já falamos bastante dele por aqui, mas devido à sua importância, vale sempre relembrar. É um estudo onde se levanta e se mapeia tantos os aspectos internos do negócio quanto os do mercado de atuação, além fatores macroeconômicos e tendências. Contempla-se no estudo a rotina operacional, a situação contábil e fiscal, questões de propriedade intelectual, indicadores de gestão.

Como nenhuma empresa pode parar por completo para se planejar, o ideal é que todo o processo de franquear o negócio seja desenvolvido em conjunto com uma consultoria especializada em franchising, que auxiliará a direção do negócio em cada etapa do processo de formatação e de implementação da franquia.

Processo de implementação

No processo de formatação a empresa vai da situação atual até o ponto em que tem tudo para iniciar a expansão. Como já dissemos aqui no blog, alguns pontos merecem atenção especial: a empresa precisa já ter a marca protegida no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), relatórios contábeis dois últimos dois exercícios, um negócio realmente testado e validado no mercado e, recomenda-se, uma reserva apropriada de capital de giro para tornar a operação mais segura.

Agora sabemos que tudo começa no estudo de franqueabilidade, onde se compreende a situação jurídica, fiscal e financeira da empresa, além de possíveis gaps na operação. O estudo também serve para embasar a decisão do franqueador e verificar se há algum impeditivo para que a empresa adentre ao franchising. Tomada a decisão de adotar o sistema, o passo seguinte ao estudo é a criação do plano de negócios.

No plano de negócios define-se tanto a sistematização e manualização dos processo de negócio quanto as taxas que serão cobradas para aquisição da franquia, como será feita a aquisição e quais as responsabilidades do franqueador e do franqueado.

Fase de Documentação

A documentação dos processos para implementação da franquia é composta pela COF (circular de oferta de franquia), pelo contrato de franquia e pré-contrato (este último, se houver) e pelos manuais de operação da franquia.

A circular de oferta é composta por todas as informações sobre o negócio, isto é, todos os direitos e responsabilidades do franqueador e franqueado, valor do investimento, investimentos envolvidos e todas as informações necessárias para facilitar a tomada decisão por parte do franqueado

O contrato é o documento legal onde comprova a parceria entre as partes e segurança dos direitos. Uma minuta completa do contrato é parte integrante da Circular de Oferta, corroborando para que o documento seja uma ferramenta decisória para o franqueado.

Os manuais são necessários para que o franqueado tenha em mãos a história da marca, informações sobre o produto ou serviço e, principalmente, todo o conteúdo necessário para que o franqueado possa conduzir a operação do negócio em todas as suas áreas. A legislação não aponta nenhum tipo de formato específico para confecção dos manuais, então fica a critério do franqueador a criação de um volume único, ou de um volume por área de atuação, por exemplo.

Lançamento da franquia

Após a franquia formatada e documentada, é hora de colocar tudo em prática. Este momento pode ser nomeado de operação piloto, e o franqueador deverá colocar em prática a unidade de negócios que espera ser referência para toda a rede.

O marketing da empresa deverá se concentrar na comunicação da marca. Os diferenciais do negócio deverão ser evidenciados tanto a fim de preparar o público alvo para a expansão, como também para o fortalecimento da marca a partir daí. E estas ações é que tornarão a marca mais atrativa para o interesse de novos investidores (franqueados).

Apesar de muito trabalho adicional já ter sido empregado pelo franqueador até o lançamento da franquia para o mercado, é nesta fase que “começa a brincadeira de verdade”. A partir daí os esforços estarão empregados na gestão da rede, na comunicação da marca com o público e na captação de franqueados para ampliação do negócio.

Ajuda especializada

Vimos que o processo de transformação de uma empresa em uma franqueadora não é tão simples como uma pesquisa preliminar pode sugerir. O conceito é simples, mas a execução não é nada fácil. Por isso, conta com ajuda especializada em áreas específicas do negócio é fundamental para aumentar as chances de sucesso do empreendimento.

O grupo Bernoli oferece diversos serviços para auxiliar sua empresa em cada estágio do processo de franqueabilidade. Muitas empresas têm nos procurado para aplicar os conceitos e padrões no sistema de franquias em seus negócios mesmo sem a intenção de expandir em rede, já que que tal padronização gera resultados diretos na operação e na gestão da empresa. Quer bater um papo à respeito? Só chamar!

Estamos ao seu dispor e esperamos que nosso conteúdo tenha ajudado.

Abraços!

Posts Relacionados

Consultoria de franquias: Por que contratar uma?

Por Michel Bernardino, em 28/08/2018

Nos mais variados segmentos da economia brasileira, o que mais se vê são empresas de consultoria. No franchising, o setor que [...]

Franqueador: Quais as suas responsabilidades?

Por Thaynara Gonçalves, em 22/08/2018

Franqueador: Quais as suas responsabilidades? Se tornar um franqueador é uma grande decisão, e implica em ter consigo ainda [...]

Compra de franquia? Saiba o que analisar antes

Por Michel Bernardino, em 14/08/2018

VAI COMPRAR UMA FRANQUIA? SAIBA O QUE ANALISAR ANTES A compra de uma franquia é uma  decisão animadora. Quando decide-se por [...]